Rodolpho Mattheis no Rally dos Sertões 2009
   Entrevista a Revista Dirt Action - fev/09

Mattheis fala de sua vitoria no Dakar 2009

De volta a São Paulo, a equipe Petrobras Lubrax se reuniu novamente para conversar com a imprensa sobre a edição Dakar disputado em solo argentino e chileno. Na bagagem, a experiência de ter completado mais uma prova e o primeiro lugar na categoria motos Marathon até 450cc conquistado pelo piloto carioca Rodolpho Matteis, que em seu ano de estréia conseguiu alem de chegar ao final, vencer em sua categoria

Dirt: Antes de tudo queríamos dar os parabéns pelo seu resultado logo na estréia do Dakar e de saber como você vê a conquista deste tutilo?

RM: Obrigado a todos que me apoiaram e sobretudo acreditaram que era possível chegar! A vitória na categoria foi o brinde por ter seguido a risca todos os conselhos dados pelo integrantes mais experientes da equipe, no caso os irmão André e Jean Azevedo.

Dirt: Como você dividiria as fases do Rally e qual delas foi a mais difícil para você?
RM: A primeira parte foi rápida, com longas retas onde a média horária dos ponteiros eram elevadas. Talvez esta tenha sido a parte mais difícil já que precisava de  muito motor e preferi poupar. Depois veio o trecho travado, onde começamos a subir montanhas...foi onde me diverti já que conseguia andar junto com os demais competidores sem correr risco de ter problemas mecânicos. E finalmente as dunas onde a pilototagem foi mais fácil do que esperava.

Dirt: Por três vezes você treinou naquela região do Atacama. Como foi voltar ao local competindo?
RM: Confesso que fiquei decepcionado já que a organização facilitou bem a vida dos pilotos, cortando boa parte das dunas mais difícil. Para mim foi super tranqüilo andar naquela região.

Dirt: Você teve problemas com pneus como a maioria dos pilotos?
RM? Na verdade não. A minha moto não era rápida o bastante para “destruir” os pneus. O único problema foi com a roda dianteira por conta das predras.

Dirt: E sobre a navegação, o que você tem para nos dizer?
RM: Nossas planilhas são um verdadeiro luxo! Qualquer pedrinha está lá sinalizada. No Dakar alem de não estar lá bem desenhada, não era confiável. Haja visto o caso do Carlos Sanz.

Dirt: Você se perdeu algum dia?
RM: Não. Na verdade, ao menor sintoma de perda de rumo, eu diminuía e fazia uma leitura mais minuciosa já que tinha tempo para isso!

Dirt: Com a vitoria na categoria Marathon 450 existe interesse da sua parte ou da equipe de migra para uma categoria acima?
RM: Tudo vai depender do que conseguirmos com os patrocinadores, com a verba para a temporada. Ainda temos um pouco de tempo para pensar sobre o assunto.

Dirt: Encara mais um Dakar?
RM: Sim com certeza quero trabalhar para em 2010 estar novamente sobre a moto no inicio do ano
.

Entrevista adicionada em: 20/01/2009



Escrito por Aline Mattheis às 16h38
[] [envie esta mensagem] []


 
   Revista Dirt Action

Já nas Bancas!!!

Edição 167, cobertura do RALLY DOS SERTÕES, matéria com o Rodolpho Mattheis!

 

 



Escrito por Aline Mattheis às 16h32
[] [envie esta mensagem] []


 
   Dakar 2010


 À partir de agora inicio a série DAKAR 2010...

. notícias

. entrevistas

. detalhes do roteiro

E a preparação do Piloto Rodolpho Mattheis.

Acompanhem!



Escrito por Aline Mattheis às 16h14
[] [envie esta mensagem] []


 
   Rodolpho entre os melhores do Brasil

Rodolpho Mattheis se consolida entre os melhores do Brasil

Em entrevista exclusiva, Rodolpho Mattheis fala sobre a carreira, o Dakar 2010 e a possibilidade de disputar um Enduro ainda este ano 

RIO - Campeão da categoria Maratona 450cc no Rali Dakar deste ano, o petropolitano Rodolpho Mattheis conquistou mais um título no Rally dos Sertões, vencendo a categoria Production 450cc. Aos 27 anos, credenciado pelos resultados que vem obtendo, o piloto da equipe Petrobras-Lubrax entra definitivamente no rol dos melhores pilotos do país.

Em entrevista exclusiva ao Clube Moto, o piloto falou um pouco sobre vários assuntos, entre eles a sua participação no Sertões 2009 e as perspectivas de sua carreira. Daqui até o fim do ano, Rodolpho ficará focado na preparação para o Dakar do ano que vem, e afirmou a possibilidade de disputar algumas provas de Enduro de Regularidade. Confira a entrevista!

Clube Moto: Você conquistou mais um título no Sertões e terminou entre os primeiros na classificação geral. Que avaliação você faz da sua participação na prova deste ano?

Rodolpho: Eu achei bastante positiva. Eu corri na categoria production, e o objetivo da equipe Petrobras/Lubrax era vencer na categoria. Eu consegui o título, completando o rali inteiro com um motor só. Muita gente estava colocando em dúvida se o motor iria aguentar. Estavam dizendo que o modelo 2009 da KTm estava sensível, e que estava tendo muitos problemas. Então acho que para a KTM também foi muito positivo eu conseguir fazer o rali inteiro com um motor só. E foi bem legal também porque nos dias mais técnicos e com mais navegação, com menos retas, principalmente no segundo dia, que foi um dia mais travado, eu fiz o sexto melhor tempo na geral, com apenas nove minutos de diferença para o Zé Hélio e a oito segundos do Juca Bala. Isso provou que eu estava apto a encarar os ponteiros de frente se eu tivesse a condição de troca de motor na metade do rali.

Clube Moto: Para quem não entende bem as diversas categorias em um rali, o que diferencia cada uma delas?

Rodolpho: A diferença básica é que na Production a moto tem que ser toda original de série, da forma como chega da fábrica. A única alteração que você pode fazer é colocar o tanque maior e os instrumentos de navegação. Ou seja, é uma moto original. Já as motos da Super Production, do Zé Hélio, do Juca e do Thiago, da categoria do Mundial, por exemplo, são motos que têm alterações. Tem trabalho de motor, pode levar uma ponteira, pode levar um disco maior, uma suspensão retrabalhada. E além disso eles trocam o motor na metade do rali. Eles têm dois motores para fazer o rali inteiro. O que no meu caso não é possível, e eu tinha que ir poupando o motor, principalmente nas etapas rápidas. Houve algumas etapas que eram praticamente retas o tempo inteiro, e eu não podia ir esgoelando a moto até o limite dela para não forçar demais o motor.

Clube Moto: Quando fui fazer a largada de uma das etapas, se não me engano no 3º dia, você estava em 4º na geral. Entrei para a trilha e fiquei esperando você passar em quarto, mas, devido à regra do Mundial, você acabava sempre largando atrás de um monte de gente. Como era isso para você?

Rodolpho: Contando com alguns quadriciclos, havia uma média de uns 20 pilotos inscritos no Mundial e todos eles largavam sempre à minha frente por uma regra imposta pela Federação Internacional de Motociclismo (FIM). Com certeza isso me atrapalhou no resultado final que eu perdi a colocação para o polonês. Ele largava atrás do Zé Hélio, pegava pista limpa o dia inteiro e no final do rali que deu uma travada, nos últimos três dias, com 40 minutos de prova eu já começa a chegar nos quadriciclos. No penúltimo dia, eu entrei em um trecho de serra que mal cabia um carro, com um quadriciclo na minha frente. Fiquei 50km atrás dele e não conseguia passar. Tive que andar no ritmo dele. Daí o polonês foi tirando tempo, tirando tempo, até que no último dia o cara me cravou por dez segundos do tempo acumulado. Ou seja, perdi o quinto lugar no último dia. A diferença de condição de pista era completamente diferente. Então acho que até mesmo para o Juca Bala, que estava querendo brigar ali com o Zé Hélio foi a estratégia errada escolher a categoria do Brasileiro. É uma regra da FIM, uma regra nova, que deveria ter vindo no ano passado, e não veio por pressão dos pilotos.

Clube Moto: Mas essa regra vai ficar direto para as próximas edições?

Rodolpho: Acredito que sim. E se ficar, acho que para o ano que vem com certeza eu vou entrar no Mundial, porque além de tudo o pessoal do Mundial teve muito mais visibilidade. O pessoal do Mundial largava primeiro, e muita gente achava que estava na ordem de classificação do rali.

Clube Moto: Quais os seus próximos passos? Competições, treinamento?

Rodolpho: A equipe esse ano só vai fazer o Sertões e o Dakar. De prova nacional não vai fazer mais nada. Vou focar agora nos treinos para o Dakar, em janeiro. Eu vou tentar entrar em alguma prova de regularidade para pegar um pouco de planilha.

Clube Moto: Você é de Petrópolis. De repente poderemos ver você em alguma prova do Estadual do Rio?

Rodolpho: Estou "pilhadão". Estou "na pilha" de fazer umas provas de regularidade para não enferrujar a navegação.

Clube Moto: E preparação para o Dakar? Vai andar de moto toda semana, academia para a parte física?

Rodolpho: Eu ainda estou conversando com a KTM para saber quando eles vão liberar a moto para o treino, pois estou sem moto, já que eu devolvi a moto usada no Sertões. No início, assim que eles entregarem a moto, eu devo treinar apenas nos fins de semana, aí, depois, lá para novembro, começo a treinar também durante a semana. Enquanto isso é academia. Treinando pesado. Musculação, bicicleta, eu corro também. Estou treinando para fazer a Maratona de São Paulo no ano que vem, aí foco bastante na parte física.

Clube Moto: Você foi campeão da categoria Maraton no Dakar deste ano. A prova te surpreendeu de alguma maneira?

Rodolpho: Eu achei a prova muito pesada. Foi bem difícil. Achei o nível de dificuldade altíssimo, e acho que surpreendeu também os gringos, tanto é que eles chegaram até a reclamar que estava passando do ponto. Acho que as etapas foram longas demais. Houve etapas assim de muito, mas muito trial. Você imagina esses triais pequenos do Sertões, que o pessoal reclamava de 20km... no Dakar os trechos de trial eram de 200 km. Ou seja, botavam os caras para moer mesmo. Teve um dia lá de 215km, e o Marc Coma, que venceu naquele dia fez em 6 horas e pouco. Os caras colocavam os waypoints escondidos no alto de uns penhascos de areia, com pedra embaixo. Você ia subindo, colocava marcha pra baixo, achava que ainda tinha marcha pra baixo, não tinha... era um sufoco. Estava igual a um Enduro FIM.

Clube Moto: Quando você foi para o Dakar de 2008 você estava, provavelmente, no ápice do seu treinamento. Com o cancelamento da prova, imagino que você tenha dado uma esfriada grande no que se refere à motivação. Como você vê a sua carreira hoje? Em que nível você se encontra, vindo de uma vitória no próprio Dakar e também no Sertões?

Rodolpho: O que acontece. A gente acaba chegando em um nível que se você se matar de treinar e correr o risco de treinar demais, você corre o risco de sofrer um acidente. No rali, principalmente, é a experiência que conta. Você vê o Zé Hélio, ele já tem 14 Sertões na bagagem. O Juca tem 17 Sertões, todas as edições. Ou seja, o que conta mais é a experiência. Quando eu ia para o Dakar em 2007, eu estava indo com muito menos experiência do que eu tenho agora. Então, para encarar um Sertões ou um Dakar, o lado psicológico está muito mais preparado, pois você cria muito menos ansiedade.

Clube Moto: E no nível de motivação, como você está?

Rodolpho: A motivação está tão forte como sempre. Quando eu era mais moleque, a motivação poderia ser mais latente. É como quando você conhece uma mulher e fica apaixonado à primeira vista. É aquele negócio. Quando você vai adquirindo mais maturidade, a paixão continua a mesma mas é diferente. Acaba que essa motivação muda, fica diferente, mas de uma maneira positiva.

Clube Moto: Mas você ainda consegue ver uma carreira longa? Você está com 27 e o Jean Azevedo, pro exemplo, andou até os 33 anos. Outros pilotos também ficaram por muito mais tempo nas motos. Mais uns sete, oito anos, pelo menos?

Rodolpho: Eu pretendo andar de moto até o dia em que eu venha a ter uma família. O esporte é muito de risco e acho que não vai fazer bem eu continuar não. Pois você não depende só da sua pilotagem. Quando eu acertei a vaca lá na Patagônia, em 2007, você está em cima da moto você está se arriscando o tempo inteiro.

Clube Moto: Você teve uma fratura naquele acidente, né?

Rodolpho: Eu fraturei três vértebras.

Clube Moto: No Dakar deste ano morreu um piloto e outro ficou em coma. Isso é uma coisa que te faz pensar em parar, na hora em que você está lá e chega a notícia?

Rodolpho: Quando você recebe a notícia no fim do dia você fica meio abalado sim, não tem como. Mas você tem que criar uma frieza. O Dakar eu encaro meio que como instinto de sobrevivência. Você está largando para chegar no final do dia. Não pensa na possibilidade de se perder, ou de tomar um tombo. Então, quando vou para o Dakar é meio que como se eu estivesse indo para a guerra mesmo.

Clube Moto: Após o anúncio da Organização do Dakar, restringindo a potência das motos para a prova de 2010, a KTM Áustria já anunciou que não vai para a prova do ano que vem (isso pode mudar nos próximos dias). A ausência da matriz européia não influencia a sua participação na prova?

Rodolpho: Felizmente não, pois o apoio para a Petrobras/Lubrax é da KTM Brasil. A única coisa que influenciaria é que você tem uma segurança maior se a KTM Áustria estiver na prova. Eles levam um caminhão de assistência. Ou seja, qualquer problema que você tiver, com peça e tal, você pode contar se tiver alguma quebra. Se eles realmente não forem para o Dakar, a gente vai tentar se garantir daqui e levar uma moto reserva.

 

fonte: O Globo



Escrito por Aline Mattheis às 18h14
[] [envie esta mensagem] []


 
   Em Busca do Bi Campeonato no Dakar

Após fortalecimento no Dakar, Rodolpho Mattheis comemora título no Rally dos Sertões


Por Lilian El Maerrawi | 09/07/09 - 08:00

>
 
Piloto se diz fortalecido após Dakar
O carioca Rodolpho Mattheis alcançou seu objetivo no Rally dos Sertões, que terminou na última sexta-feira (3), em Natal (RN) – ao conquistar o título da categoria Production a bordo de sua moto numeral 33. Com isso, o piloto da equipe Petrobras Lubrx se diz satisfeito e contente com o resultado, fruto do seu empenho e do título da categoria Marathon, do Rally Dakar 2009, no qual fez sua estreia este ano.

“O Dakar me ajudou a crescer como piloto e como pessoa. Após finalizar um Dakar, o lado psicológico fortalece, assim cheguei mais forte para encarar os Sertões tirando minhas ansiedades e inseguranças”, declarou ele.

Ele conta que sua meta era vencer na Production e que a sexta colocação geral na classificação foi conseqüência de uma busca dentro da sua categoria. E para estar bem para os mais de cinco mil quilômetros, 12 semanas de musculação, corrida e treinos de bicicleta. Em cima de sua moto, foram seis semanas de treinos curtos e longos.

Dois foram os destaques na prova, Zé Hélio, que liderou as dez etapas e alcançou o pentacampeonato na prova, e Denísio do Nascimento, há dois anos no off-road, fez sua estreia no Rally dos Sertões, com pouca experiência na navegação, saiu com a segunda colocação na prova.

“Acredito que o Zé Helio e o Deni não tenham tido grandes problemas. O Deni impressionou a todos, pois a experiência em navegação no tipo de prova como o Sertões conta muito, e ele conseguiu pilotar rápido e pilotar bem”, elogiou Mattheis. “O único problema grave que tive durante o rali foi ao atravessar um rio, entrou água em meu motor, no qual custou cerca de 20 minutos da minha prova para resolução. E outro grande problema que tive, diariamente, foi a questão de largar atrás dos últimos competidores do mundial, pois sempre com 40 quilômetros de especial, eu os alcançava e muitas vezes tinhas dificuldades de passá-los devido a poeira”, relembrou.

Para considerar sua prova perfeita, Rodolpho diz que erros na navegação poderiam não ter acontecido. “Eu acho que minha navegação não esta nos 100%, perdi algumas referencias importantes durante o rali”.

Grandes Concorrentes Sua briga direta foi com o polonês Jacek Czachor, com quem disputou, especial a especial, o melhor tempo na prova. Ele considera que os brasileiros estão muito bem preparados para brigar com os pilotos estrangeiros, porém na disputa com Zé Hélio, ainda falta alguém chegar ao seu nível. “Em particular, acredito que o Zé Helio esteja um passo a diante dos demais concorrentes, pois mesmo administrando sua prova, conseguiu vencer etapas”, ponderou Rodolpho Mattheis.

A volta ao Dakar, em 2010, é certa para o piloto da equipe Petrobras Lubrax, que foca seu treinamento na disputa do maior rali do mundo, que acontece em janeiro do próximo ano. “Vou em busca do bicampeonato na categoria Marathon”, alerta.

E para conquistar tantos títulos e bons resultados, a receita de Mattheis é simples. “O meu dilema é de sempre me preocupar com minha prova, dar o meu melhor todos os dias, manter a paciência e calma durante toda a prova. A chave do sucesso é encarar uma etapa de cada vez, não me preocupar com o rali em geral, não cair, não errar, e sempre me manter positivo”.


Escrito por Aline Mattheis às 16h49
[] [envie esta mensagem] []


 
   Frase do Sertões

A frase do Sertões 2009:

 "Lutar sempre. Vencer as vezes. Desistir jamais!"

 Tiago Fantozzi.



Escrito por Aline Mattheis às 17h13
[] [envie esta mensagem] []


 
   Sertões 2010 será em agosto

Em 2010, Rally dos Sertões acontece em agosto


Direto de Natal (RN) - Em virtude da Copa do Mundo em 2010, a 18ª edição do Rally dos Sertões acontecerá em agosto do próximo ano, mas sem data definida. A única certeza é que a prova larga de Goiânia (GO), como já aconteceu nas últimas oito edições. Mas a cidade de Natal (RN) não está confirmada como chegada da prova.

“Nossa meta sempre foi desenvolver e promover o lado turístico da cidade de destino e sempre buscamos fazer um rali melhor”, disse Marcos Moraes, presidente da Dunas Race, organizadora do evento.

Somente em Natal, a estimativa da Empresa Potiguar de Promoção Turística (Emprotur) é que cerca de 2.000 pessoas chegaram à cidade por conta do rali, o que movimentou a economia local. Em Goiânia, 200 empregos diretos e centenas de vagas indiretas foram gerados por conta. Somente no estado de Goiás, a estimativa é que o Sertões tenha injetado de 25 a 30 milhões de reais na economia.

“Foi realmente o melhor rali dos últimos anos. O roteiro estava muito bom, com um percurso fantástico. Sem dúvida toda a equipe da Dunas e as pessoas que estiveram envolvidas diretamente com a realização do evento fizeram um trabalho com muita dedicação e isso fez com que a prova tivesse consistência do início ao fim”, comentou Moraes.

A prova - “As equipes vieram com boa estrutura e um roteiro novo que foi feito e com nível que ele apresentou, o resultado está aí e todos estão satisfeitos com o que a organização conseguiu apresentar este ano. Espero conseguir manter o mesmo nível para o ano que vem, e este é o maior desafio, conseguir essa motivação e determinação da equipe para realizar no próximo ano, um grande evento”, definiu Marcos.


Escrito por Aline Mattheis às 11h56
[] [envie esta mensagem] []


 
   Chegada Sertões 2009!!!



Escrito por Aline Mattheis às 10h28
[] [envie esta mensagem] []


 
  
Piloto Rodolpho Mattheis vence Sertões 2009 na categoria Production

 

Rodolpho Mattheis, piloto de moto da Equipe Petrobras Lubrax, venceu o Rally dos Sertões 2009 na categoria Production. "Estou bem feliz, pois é a segunda vez que conquisto uma categoria no Sertões e minha posição na classificação geral também foi muito boa", afirmou ao chegar em Natal (RN).

O Rally dos Sertões completou 11 dias de prova com mais de cinco mil quilômetros percorridos num total de sete Estados brasileiros.

Confira abaixo o resultado da categoria Motos Production:
1º Rodolpho Mattheis;

2º João Ricardo;
3º Rodrigo Bossa.



A Equipe Petrobras Lubrax tem patrocínio da Petrobras, Mitsubishi Motors do Brasil, CCR NovaDutra, e apoio da Mercedes-Benz Caminhões, Pirelli, KTM do Brasil, Renov, BorgWarner, Mahle, Kaerre, Capacetes Bieffe, Sparco América Latina, Motorola e Artfix.

Assessoria de Imprensa Equipe Petrobras Lubrax


Escrito por Aline Mattheis às 15h42
[] [envie esta mensagem] []


 
  
Os melhores brasileiros do Sertões 2009 são da Equipe Petrobras Lubrax

 

O piloto Jean Azevedo e o navegador Youssef Haddad são os melhores brasileiros entre os Carros desta 17ª edição do Rally dos Sertões, que terminou hoje (03) em Natal (RN). “Foi um rali difícil, pois tivemos que dar o nosso melhor e superar vários obstáculos para conquistar um resultado como este. Sem dúvida, a vitória na Protótipos e o terceiro lugar atrás apenas dos veículos oficiais alemães é muito significativo. Agradeço à toda equipe Petrobras Lubrax pelo empenho total nestes 11 dias de prova e pela torcida de todos”, afirmou Jean.

Youssef ressaltou o trabalho da equipe de apoio, fundamental para a conquista deste resultado. “Não tivemos que realizar nenhum reparo e o carro estava totalmente confiável. A sensação ao terminar este Sertões é o de dever cumprido”, acrescentou.

Histórias de sucesso
Jean Azevedo é conhecido no meio off road nacional e internacional pelas suas conquistas. Até o ano de 2007, quando ainda era piloto de moto, Jean havia conquistado o Campeonato Brasileiro por seis vezes, além de resultados expressivos no Rally Dakar. Em sua estréia nos Carros, o piloto surpreendeu pelo profissionalismo e conquistou o Campeonato Brasileiro novamente, só que desta vez em quatro rodas.

Youssef Haddad foi um dos engenheiros responsáveis pelo desenvolvimento da Mitsubishi L200 Evolution, modelo que hoje o consagrou neste Sertões. Nos anos de 2006 e 2007 foi chefe da equipe Mitsubishi Racing, coordenando, na época, toda a logística nas provas.

Entre as Motos, o piloto Rodolpho Mattheis demonstrou maturidade para manter a liderança, assumida desde a terceira etapa do rali. “Tive que ficar sempre concentrado para alcançar o objetivo: vencer na Production. Foram dias difíceis, ultrapassando no meio da poeira os pilotos do Campeonato Mundial, mas valeu pelo resultado. Estou muito contente”, explicou Rodolpho. A categoria Production é aquela em que são permitidas poucas alterações na moto, uma KTM 450EXC, e também a troca de peças. Para conquistar a vitória, Rodolpho teve que administrar o resultado, sem desgastar o equipamento.

Na categoria Caminhões, o trio André Azevedo/Maykel Justo/Ronaldo Pinto, mesmo tendo enfrentado os problemas da Etapa Maratona com a quebra do semi-eixo dianteiro, conquistou o terceiro lugar na categoria T4.2, para veículos acima de quatro toneladas. “Também sabemos que estamos na liderança do Campeonato Brasileiro em nossa categoria, visto que nos três primeiros dias do Sertões fomos muito bem”, conclui André.

Resultados do Rally dos Sertões 2009 por categorias:
Motos - Production
1º Rodolpho Mattheis (6º na geral);
2º João Ricardo;
3º Rodrigo Bossa.

Carros – Protótipos
1º Jean Azevedo/Youssef Haddad (3º na geral);
2º Roberto Reijers/Rogério Almeida;
3º Felipe Bibas/Emerson Cavassin.

Caminhões – categoria T4.2
1º Guido Salvini/Weidner Moreira/Fernando Chwaigert;
2º Ulysses Marinzeck/Evandro Bautz/José de Carvalho;
3º André Azevedo/Maykel Justo/Ronaldo Pinto.

Resultados do Rally dos Sertões 2009 na classificação geral:
Motos
1º José Hélio;
2º Denisio do Nascimento;
3º Juca Bala;
6º Rodolpho Mattheis.

Carros
1º Carlos Sainz/Lucas Cruz;
2º Nasser Al-Attiyah/Timo Gottschalk;
3º Jean Azevedo/Youssef Haddad.

Caminhões
1º Edu Piano / Solon Mendes / Davi Fonseca;
2º Amable Barrasa / Guilherme Signoretti / Raphael Bettoni;
3º Guido Salvini/Weidner Moreira/Fernando Chwaigert;
5º André Azevedo/Maykel Justo/Ronaldo Pinto.



A Equipe Petrobras Lubrax tem patrocínio da Petrobras, Mitsubishi Motors do Brasil, CCR NovaDutra, e apoio da Mercedes-Benz Caminhões, Pirelli, KTM do Brasil, Renov, BorgWarner, Mahle, Kaerre, Capacetes Bieffe, Sparco América Latina, Motorola e Artfix.

Assessoria de Imprensa Equipe Petrobras Lubrax
Ana Carolina Vieira
foto: Ricardo Leizer


Escrito por Aline Mattheis às 15h40
[] [envie esta mensagem] []


 
   Mami!!!

03/07 - 13:24) MAMÃE NA RAMPA
A mãe de Rodolpho Mattheis fez questão de ficar na rampa de chegada à espera do filho, para lhe entregar pessoalmente a medalha de conclusão da prova.

(03/07 - 13:31) MAIS FAMÍLIA NA CHEGADA
Fazendo uma surpresa, a mãe do piloto de moto Rodolpho Mattheis também está na chegada, aguardando ansiosamente o filho. Coruja, ela já até o visitou no meio do Rally Dakar 2009, no Chile. Tudo isso para comemorar a vitória na categoria Production.



Escrito por Aline Mattheis às 13h27
[] [envie esta mensagem] []


 
   Campeões são consagrados!!!

A décima e última especial do 17º Rally dos Sertões marcou uma prova rápida pelas terras potiguares. Nas motos, Denísio do Nascimento fez o melhor tempo, com 1h12min09, deixando Jakub Przygonski na segunda posição, com o total de 1h12min30, eo pentacampeão Zé Hélio na terceira posição, com o tempo de 1h13min46.

Já era difícil pensar em uma vitória nas motos que não a de Zé Hélio, visto a vantagem que ele havia aberto para Deni, segundo colocado, desde a metade da prova. Sérgio Henrique Klaumann, o Ike, fez o quarto tempo do dia, com o total de 1h14min26. Juca Bala foi o quinto piloto na classificação do dia, com 1h15min22.

O polonês Jacek Czachor foi o sexto melhor, com 1h15min40, seguido por Leo Uratani, 1h16min34, Guto Klaumann, 1h18min44, Rodolpho Mattheis, 1h18min53, e Sérgio Ferraz Filho, 1h19min26.

Os Campeões - Atrás de Zé Hélio, campeão do Sertões 2009, ficou Denísio do Nascimento, com 59min13 de desvantagem. Juca Bala foi o terceiro colocado, com 1h28min49 a mais.

Guto Klaumann alcançou a quarta posição do rali, com 2h24min13 a mais no total. Jacek Czachor é o quinto colocado na classificação, ao ter 2h56min30 a mais no seu tempo final.

Com bom resultado, Rodolpho Mattheis é o sexto classificado, com 2h56min41, Dimas Mattos o sétimo, com 4h00min47 de diferença, Jakub Przygonski o oitavo, ao ter 6h10min21 no tempo final de diferença para Zé Hélio, Leo Uratani é o nono colocado, com 8h37min02, e Ike Klaumann fecha os dez primeiros colocados, com uma desvantagem de 11h07min39. Todos os tempos são extra-oficiais.

Confira a classificação final extra-oficial da 10ª etapa

1º) Denísio do Nascimento – 1h12min09
2º) Jakub Przygonski – 1h12min30
3º) Zé Hélio – 1h13min46
4º) Ike Klaumann – 1h14min26
5º) Juca Bala – 1h15min22
6º) Jacek Czachor – 1h15min40
7º) Leonardo Uratani – 1h16min34
8º) Guto Klaumann – 1h18min44
9º) Rodolpho Mattheis – 1h18min53
10º) Dimas Mattos – 1h20min25

Confira a classificação final extra-oficial do Rally dos Sertões

1º) Zé Hélio – 34h17min57
2º) Denísio do Nascimento – 35h17min10
3º) Juca Bala – 35h46min47
4º) Guto Klaumann – 36h42min11
5º) Jacek Czachor – 37h14min28
6º) Rodolpho Mattheis – 37h14min38
7º) Dimas Mattos – 37h18min45
8º) Jakub Przygonski – 40h28min19
9º) Leonardo Uratani – 42h54min59
10º) Ike Klaumann – 45h25min37



Escrito por Aline Mattheis às 11h15
[] [envie esta mensagem] []


 
   CAMPEÃO!!!

RODOLPHO É CAMPEÃO DO RALLY DOS SERTÕES 2009, NA CATEGORIA PRODUCTION!!!Sorriso

HOJE O PILOTO TERMINOU A ESPECIAL EM 1h18s53, FICANDO COM A 9°COLOCAÇÃO

DO DIA, 6° NA GERAL POR APENAS 10s1.

RODOLPHO CUMPRIU SUA META, ALCANÇOU UMA COLOCAÇÃO NA GERAL MELHOR QUE

EM 2008, QUE O PILOTO FICOU EM 8°, E TAMBÉM CAMPEÃO DA CATEGORIA.

PARABÉNS DÔ!!!

CAMPEÃOOOOOOOOOOOO!!!!!!!!!!!!!!!

LOVE YOU, S2 S2 S2!!!



Escrito por Aline Mattheis às 10h16
[] [envie esta mensagem] []


 
   10° e Última Etapa

Rodolpho Mattheis larga para a especia às 8h06, serão 93 Km...

Terminou a especial em 1h18m53s !!! Campeão Production!!!

6° na geral, por 10segundos...

Foco Dôdo!!!

Love You!!!

Luz, Paz e Amor!!! S2 S2 S2



Escrito por Aline Mattheis às 08h07
[] [envie esta mensagem] []


 
  

 INÍCIO DO DÉCIMO DIA


Bom dia! Bem vindo ao décimo e último dia de Rally dos Sertões. Hoje, a disputa promete muita adrenalina, com a chegada em Natal (RN) e a definição de todos os campeões. A prova sai de Caicó (RN). Será uma especial curta, de 93 quilômetros, porém com um deslocamento final de 250 quilômetros.



Escrito por Aline Mattheis às 07h54
[] [envie esta mensagem] []


 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]  
 
 
HISTÓRICO



OUTROS SITES
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis
 Equipe Petrobras Lubrax
 Cobertura On Line
 Rodolpho +
 Blog De Gennaro


VOTAÇÃO
 Dê uma nota para meu blog!